Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

Pensamentos e Emoções

Diz Manoel P. de Miranda, em seu livro Temas da vida e da morte, que no nível evolutivo em que estamos todos os que vivemos neste planeta, as emoções se manifestam de forma desgovernada e caímos com freqüência em exageros e desajustes de demorada regularização. Quanto menos disciplinados, mais estimulamos nosso “lado sombrio”, egoísta, vaidoso, que busca o prazer desenfreado.

Isto nos desgasta energeticamente. E o pensamento é o agente que pode reorientar para o equilíbrio. Lutar pela renovação moral e educação emocional, após reconhecermos que temos ainda, em maior ou menor grau, interesses negativos e viciosos, é buscar simultaneamente substituir estes pensamentos e ir refletindo sobre as causas deles permanecerem em nós. Ao ter pensamentos positivos rumo à nossa melhoria pessoal nos sintonizamos com faixas vibratórias de mesma natureza, que estão a nossa volta, colocamo-nos em contato com os benfeitores espirituais, que nos falam em nome de Jesus, acalmando nosso campo emotivo e isto nos leva a estabelecer vínculos cuja força depende da intensidade mantida. Este processo cria uma psicosfera sadia em torno de nós. A mesma será enfermiça quando oriunda de emoções desencontradas e pensamentos indisciplinados e viciados. A vivência cotidiana em psicosferas enfermiças gera doenças diversas. Assim, a educação gradativa de pensamentos e emoções gera fatores de saúde, contribui na harmonia interior, traz paz e confiança.

Lembra o autor que todo empreendimento humano exige esforço, diretriz e perseverança. Sugere a meditação como instrumento de educação da alma.

Pensando sobre estes ensinamentos, há uns dez anos introduzi na minha rotina, no mínimo, 30 minutos de introspecção. Nestes momentos procuro:
- refletir sobre a experiência vivida no dia anterior, colocando-me metas de melhoria pessoal e procuro nestes momentos programar e visualizar positivamente meu dia. Permeio esta reflexão pela oração para as situações vividas ou a viver, pedindo apoio espiritual para as mudanças necessárias;
- agradecer pela Criação Divina, pela humanidade (visualizo quadros da natureza, imagens de bondade, de justiça, de solidariedade, etc.);
- fazer intercessões por instituições cristãs, por conhecidos, familiares, amigos, companheiros de fé, que passam, ou não, dificuldades;
- fazer uma irradiação especial de energias amorosas para desafetos e irmãos que estão no umbral ou encarnados e em sofrimento.

A seqüência nem sempre é esta e são muitos os tropeços que evidenciam nossa indisciplina dos pensamentos e emoções: ora me enrosco mentalmente em alguma situação desagradável vivida e quando percebo passei 20 minutos lutando mentalmente contra pessoas ou situações; ora lembro-me de um compromisso e vou anotá-lo; ora vejo uma sujeira no móvel do quarto e quando percebo estou limpando-o.

Mas não me libero para nenhuma outra atividade até terminar as quatro etapas.

A perseverança tem mostrado o acerto da fala do autor: o dia flui como que pré-determinado e mesmo momentos desagradáveis são superados sem dramas.

Este saudável exercício me trouxe a aguda consciência da minha pequenez, da minha dificuldade em mudar pensamentos e emoções, e, também, do imenso apoio que me é dado por Deus diariamente. Ao final de cada dia, meu coração tem se alegrado por ter sido predominante realizar, nos meus limites, o possível.

Curta e Compartilhe esse artigo no Facebook!