Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

Vantagens do Esquecimento

“... Se Deus julgou conveniente lançar um véu sobre o passado, é porque isso devia ser útil...” “... Deus nos deu, para nosso adiantamento, justamente o que nos é necessário e pode nos bastar, a voz da consciência e nossas tendências instintivas, e nos tira o que poderia nos prejudicar...” (Capítulo 5, item 11, O Evangelho segundo o Espiritismo)

Refere Hammed “a Natureza em nós é força de progresso, e os homens evoluem sempre”; no entanto a maioria dos homens que vive no planeta terreno apresenta grande dificuldade de mudança, de adaptação a novos contextos e situações, como se a mudança fosse algo errado, punitivo, vergonhoso ou ameaçador. De tempos em tempos o fluxo de novas idéias aparecem no planeta ou no meio em que cada um se encontra; essas mudanças são importantes fatores de progresso das almas.

Ressalta que “certas pessoas se orgulham ao proclamar-se conservadoras esquecendo-se de que o comodista, por medo ou estagnação, perde sua liberdade por não querer correr o risco de sair do lugar-comum. Estão sempre lembrando uma época de felicidade, suspirando por sonhos antigos que não se realizaram, revivendo o passado, repisando as suas e as opiniões erradas dos outros e justificando-se agarradas às lembranças de vidas passadas”. Esta forma de agir representa um entrave no processo evolutivo delas. Por essa razão muitas vezes a espiritualidade permite os acontecimentos inesperados, de ordem individual ou coletiva, muitas vezes dolorosos, porque sabe da importância do despertamento e da continuidade evolutiva para cada um.

A cada encarnação, e mesmo a cada situação nova, que exige mudanças e adaptações novas, cada pessoa encarnada na Terra angaria profundos ensinamentos, acumula novos valores intelectuais e emocionais, tornando-a diferente do que era no pretérito. A vida dá a cada um constantes oportunidades de reformulação nas suas concepções.

No entanto, a cada nova encarnação na Terra o véu do esquecimento nos acompanha e não lembramos das vidas anteriores, justamente para evitar o nosso comodismo ou o reascender dos velhos sentimentos de culpas ou ranços que dificultam o desenvolvimento da nossa capacidade de amar. O esquecimento é uma benção que reaproxima os inimigos, dando-lhes nova oportunidade de se abraçarem, no papel de pais e filhos, por exemplo.

Na presente encarnação, no entanto, devido ao fato das lembranças estarem presentes, muitos preferem o comodismo do bem-estar vivido na infância e não querem crescer para enfrentar novos desafios da vida adulta. São aqueles que esperneiam diante dos problemas e dificuldades e permanecem no saudosismo do pretérito, investindo pouco esforço para avançar no processo evolutivo.

Diz Hammed “ficamos retidos nas idéias e conceitos que nos foram válidos em determinadas épocas de nossa vida; atualmente, porém, é preciso renovação e libertação dos ranços do pretérito em favor de um presente atuante e vantajoso”.

"O momento presente é o ideal para o nosso progresso, e nós só podemos sentir o aqui e o agora, pois tentar sentir o ontem é ressentir; por conseqüência, nem sempre são válidas e autênticas nossas emoções do ontem para avaliação do nosso tempo presente. Essencialmente, a voz da consciência e as nossas tendências instintivas são os melhores meios de ação”

Fonte: Renovando Atitudes – Francisco de Espirito Santo Neto – Ditado por Hammed - Boa Nova Editora – 1997 Catanduva, SP.

Curta e Compartilhe esse artigo no Facebook!