Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

A Felicidade pode ser comprada?

Você certamente já deve ter ouvido slogans como estes: “Vem ser feliz!”, “Abra a felicidade”, “Felicidade é usar XXXX e dar férias para os seus pés”. Pois é, a felicidade tornou-se um produto, e como tal, é oferecida a quem possa pagar seu preço.

Podemos encontrar ofertas de felicidade em todas as partes, nas prateleiras dos supermercados e das drogarias, nos cartazes publicitários, nas revistas de moda, nos comerciais e programas de TV, enfim, basta olhar com atenção para descobrir que nestes tempos a felicidade e o consumo andam de mãos dadas e comumente se confundem.

Possuímos uma inclinação natural para buscar a felicidade, a publicidade se aproveita disto ao nos apresentar seu “modelo de vida ideal”. São cenários paradisíacos, mansões e palacetes, habitados por pessoas jovens, bonitas, ricas, passeando em seus barcos, ostentando jóias caras e comendo iguarias em ambientes impregnados de sensualidade. De tanto conviver com estas imagens, e aliada à nossa necessidade de aceitação e inclusão social passamos a acreditar que este é o nosso modelo de felicidade.

Quanto mais, melhor!

A aquisição de um bem geralmente atende a uma suposta necessidade ou a um desejo, e tudo o que traz satisfação produz uma sensação de bem-estar, e é este bem-estar que é comumente confundido com a felicidade. Neste ponto o quadro se complica, pois, se uma coisa lhe fez feliz, parece certo que mais coisas lhe farão mais feliz. Errado! E o resultado disso é o número crescente de pessoas sentindo-se cada vez mais dependentes e deprimidas atravessando graves problemas financeiros, por conta de uma necessidade pueril de consumo.

Se possuímos algo somos felizes, se não possuímos, então, nos lançamos à batalha, muitas vezes, infligindo esforços acima de nossas reais capacidades, lançando mão de todos os nossos recursos para possuí-lo, e como resultado, vemos pais e mães ausentes que trabalham tanto que não acompanham o desenvolvimento dos filhos, atribuindo a estranhos a sublime tarefa da transmissão de valores morais aos mesmos. Acredito realmente que o consumismo é um dos piores maus da sociedade moderna, se investigarmos profundamente, veremos que boa parte dos nossos problemas tem origem neste mal.

As duas maiores indústrias do mundo são a da alimentação e a de medicamentos. Explico: Comemos em demasia até adoecermos, e então compramos remédios para nos devolver a saúde. Enquanto isto, mais de um bilhão de habitantes passam fome neste planeta.

Aparentemente, esta filosofia do “ter” tem mais relação com o orgulho exacerbado, e com a necessidade de aceitação social, do que propriamente pelo prazer de usufruir dos benefícios deste ou daquele bem.

Avalie melhor suas reais necessidades

Saia o quanto antes do círculo vicioso do consumismo, reflita sobre o esforço necessário para a aquisição deste ou daquele bem e sobre sua real utilidade em sua vida. E tenha em mente que isto não a fará mais feliz.

Saiba lidar com as frustrações

Você não é mais uma criança. Vigie e evite os episódios de cólera, comporte-se como alguém que reconhece a natureza de suas decepções. Há um tempo para plantar e outro para colher, alimente uma fé sincera e serena na Divina Providência.

Cultive a prática da gratidão

Olhe ao seu redor… O que vê? Faça uma lista daquilo que recebeste, seja fruto de seu trabalho ou de conquistas familiares, o fato é que nesta Terra, somos todos usufrutuários dos bens que pertencem realmente a Deus. Agradeçamos todos os dias por cada pequena coisa que nos foi confiada, sobretudo pelas pessoas de nosso convívio, pelo amor e pela amizade, pelas boas vibrações que recebemos daqueles que nos querem bem. Agradeça!

Discipline-se para hábitos saudáveis

A alimentação exerce papel importante sobre nosso estado mental e respectivamente sobre nosso comportamento. Cansaço, impaciência, agressividade podem ter potencializados por maus hábitos alimentares. Coma menos, coma melhor, diminua o consumo de carne, substituindo-a por frutas e vegetais frescos, beba bastante água e reserve um tempo para a prática de uma atividade física.

Pra ser feliz...

Coisas foram feitas para serem usadas e pessoas para serem amadas. Gente é que faz gente feliz.

“Se desejas ser feliz, vive, cada momento, de forma integral, reunindo as cotas de alegria, de esperança, de sonho, de bênção, num painel plenificador.

As ocorrências de dor são experiências para as de saúde e de paz.

A felicidade não são coisas: é um estado interno, uma emoção.

Abençoa os acidentes de percurso, que denominas como desdita, segue na direção das metas, e verás quantas concessões de felicidade pela frente, aguardando por ti.

Quem avança monte acima, pisa pedregulhos que ferem os pés, mas também flores miúdas e verdejante relva, que teimam em nascer ali colocando beleza no chão.

Reúne essas florezinhas em um ramalhete, toma das pedras pequeninas fazendo colares, e descobrirás que, para a criatura ser feliz, basta amar e saber discernir, nas coisas e nos sucessos da marcha, a vontade de Deus e as necessidades para a evolução.”[1]

[1]Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos Enriquecedores - Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.

Força Sempre!

Curta e Compartilhe esse artigo no Facebook!