Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

Nossa História


Missão e valores do Centro

Estudar, praticar e divulgar a Doutrina Espírita como ciência, filosofia e religião, nos moldes da codificação de Allan Kardec e promover a caridade espiritual, moral e assistencial, sem fazer distinção alguma quanto à raça, cor, condição social, credo político ou religioso.

O início

Em 1942, e a despeito do preconceito da época, Piracicaba constatava a existência de diversos grupos de espíritas espalhados pela cidade, que se reuniam nas residências de alguns, para se dedicar à prática e estudos doutrinários.

No início do ano, alguns idealistas se aliaram para constituir uma nova sociedade, com o objetivo de unir todos esses grupos, integrando-os e fortalecendo-os sob o ponto de vista legal. A aliança destacara a importância da união de todos, sob os aspectos sociais e espirituais. Assim nascia o novo Centro Espírita, dentro dos parâmetros legais, no dia 18 de janeiro de 1942.

A União estava consolidada.

D. Eugenia

A Profa. Eugenia da Silva, a querida D. Eugenia, foi aclamada a primeira presidente da União. No discurso de posse, ela deixou clara a sua preocupação e a intenção pessoal na ampliação da área social, dando início a uma campanha de contribuição voluntária para atender aos necessitados.

Porém, havia unanimidade também no sentido de direcionar a atuação do novo Centro para as diversas áreas e departamentos, incluindo as sessões práticas, com a mesma importância, sem evidenciar nenhuma delas especialmente, demonstrando um pensamento à frente de seu tempo.

Talvez intuída sobre a importante missão do correligionário Walter Accorsi, jovem militante da causa, um ano depois da instalação da União Espírita, a Profa. Eugenia da Silva abriu espaço para a apresentação e eleição de uma chapa antecipadamente formada. Sua aprovação em assembleia resultou na atuação, a partir de 1943, do Dr Walter Radamés Accorsi no cargo da presidência. Por iniciativa do Prof. José de Campos Camargo que destacou a importância da Profa. Eugenia da Silva, ela foi então aclamada por todos como Presidente Honorária.

O seu trabalho dedicado ao auxílio aos carentes revelou a falta de uma gestão exclusiva nessa área, para o que foi criada a diretoria de Assistência aos Necessitados ou Departamento Feminino em 1945. D. Eugenia foi a primeira diretora.

A Assistência Social ainda hoje é um dos pilares da União.

A época Accorsi

Durante 63 anos, e até seu passamento, o destino da União foi conduzido pelo Dr. Walter Radamés Accorsi. Exegeta do Evangelho, estudioso do Espiritismo, orador brilhante, prestou sua valorosa contribuição ao Movimento Espírita, em sua unificação e divulgação.

Dedicado à causa desde o começo, o Dr. Walter Radamés Accorsi ampliou o objetivo da União dos primeiros tempos para as atividades sociais, as evangélicas no segmento infanto-juvenil e a biblioteca.

Trabalhou em paralelo, com sua esmerada equipe, para o erguimento do edifício-sede da União, onde funciona atualmente.

Não poupou esforços para seguir as orientações da FEB - Federação Espírita Brasileira e da FEESP - Federação Espírita do Estado de São Paulo, aliando-se à unificação da Doutrina proposta por estes órgãos, o que resultou em seriedade e credibilidade na Casa.

Em 1946, se torna, além de membro fundador, o primeiro presidente da UME - União Municipal Espírita, antecessora da atual USE – União das Sociedades Espíritas.

Foram décadas de aprendizado contínuo, estudando, esclarecendo, divulgando o Evangelho em todas as suas apresentações, palestras e até nas conversas de “alguns minutinhos”...

Novos tempos

A nova presidência, sob o comando de Boanerges Tavares, realiza trabalho profícuo na re-estruturação da Casa, para manter a gestão atualizada nos moldes educacionais espíritas e na gestão por resultados, modernizando sim, mas guardando o cuidado de atingir os corações dos que buscam paz e conforto em suas aflições.